Programa

 - Apresentação do curso e da bibliografia.

- Ingold, Tim. (1995) “Humanidade e animalidade”. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais, n.28. Rio de Janeiro.

- Agamben, Giorgio. (2013) O aberto – O homem e o animal. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 1-43 (primeira parte).

- Coetzee, J. M. (2003) A vida dos animais. São Paulo: Companhia das Letras.

- Berger, John. “Por que olhar os animais?”. In: Sobre o olhar. Editora Gustavo Gili, 2003.

- Derrida, Jacques (2002). O animal que logo sou. São Paulo, UNESP. 11-48 (primeira parte).

-Leach, Edmund. (1964). “Aspectos antropológicos da linguagem: categorias animais e insultos verbais”. In: MATTA, Roberto da. Edmund Leach: antropologia. São Paulo: Ática, 1983.

- Sahlins, Marshall. “A preferência de comida e o tabu nos animais domésticos americanos” In: Marshall Sahlins. Cultura e Razão Prática. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003. pp. 170-178.

- Deleuze, Gilles & Guattari, Felix. (1997). “Devir-intenso, devir-animal, devir-imperceptível...”, in: Mil platôs – Vol. 4. São Paulo: Editora 34, pp. 11-115. Primeira parte.

- Haraway, D. (2000): “Manifesto Ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX”, em T. T. Silva: Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano, Belo Horizonte, Autêntica.

- Viveiros de Castro, E. (2002). “Perspectivismo e mutinaturalismo na América indígena”. In: A Inconstância da alma selvagem. São Paulo: Cosac Naify. 345-400.

- Smuts, Barbara. 2006. Between species: Science and Subjectivity. Configurations vol. 14, num 1-2.

Despret, Vinciane. 2004. The body we care for: figures of anthropo-zoo-genesis. Body and Society. SAGE, vol 10 (2-3): 111-134.