Programa

Semana 1 : Atividades de Ambientação

• Apresentações pessoais;

• Orientação, conhecimento e experimentação do ambiente de aprendizagem;

• Dúvidas técnicas;

• Leitura de Artigo 1

• Fórum: Vivências Clínicas com Pacientes Especiais;

• Chat 1: Artigo 1

• Envio de resumo com considerações finais do Artigo 1


Semana 2: Introdução ao Protocolo de Redução de Estresse

Importância do controle de dor, medo e ansiedade no atendimento dos pacientes ASA II e III;

• Uso racional de Anestésicos Locais;

• Leitura dos Artigos 2 e 3

• Fórum: Importância da Anamnese na prática clínica

• Chat 2 : Artigos 2 e 3

• Envio de resumo dos artigos 2 e 3 com considerações finais


Semana 3: O Protocolo de Redução de Estresse – A  Via Oral

• Farmacologia dos Benzodiazepínicos(BZ);

• Pacientes Idosos e Crianças;

• Leitura dos Artigos 4 e 5

Fórum: Qual a minha experiência clínica  com o uso de BZ no controle de medo e ansiedade?

• Chat 3: Artigos 4 e 5

• Envio de resumo dos artigos 4  e 5 com considerações finais

Semana 4: A  Via Inalatória

• Histórico e Legalização do óxido nitroso no Brasil;

• Farmacologia dos gases (oxigênio e óxido nitroso);

• Indicações e Contra-Indicações ;

• Leitura dos Artigos 6 e 7;

• Fórum: O que conheço sobre o uso do óxido nitroso na odontologia?

• Chat 4: Artigos 6 e 7;

• Envio de Resumo dos Artigos 6 e 7 com considerações finais


Semana 5: Emergências Médicas no Consultório Odontológico:

 Fechamento do  Curso e Avaliação das Atividade

• Elaboração de um texto reflexivo, articulando a teoria discutida no curso com sua prática clínica

• Chat 5 : discussão das considerações finais dos resumos  enviados;

• Fórum: Avaliação do curso

• Chat de encerramento : livre



CONTEÚDO PROGRAMÁTICO.

MÓDULO 1  

1.  Ética e Bioética

2.  Neurofisiologia da Ansiedade:

     2.1 Conceitos de dor, medo e ansiedade

     2.2 Espectro da dor e controle do medo e da ansiedade

3.  Neurofisiologia do SNC:

4.  Estresse Físico e Mental e suas conseqüências ao organismo humano

      3.1  Fobias e fobia dental

      3.2  Protocolo de controle da dor, do medo e da ansiedade

      3.3  Escalas analógicas / visuais para a  avaliação da ansiedade 

             3.3.1 A Escala de Corrah

5.  Princípios Básicos de Farmacologia Clínica:

      5.1  Farmacocinética

      5.2  Farmacodinâmica

      5.3  Absorção Metabolismo e Excreção dos medicamentos

      5.4  Alterações Farmacológicas no Idoso

6.    Principios Básicos do Sistema Cárdio Vascular:

       6.1 Patologias de Interesse no atendimento odontológico

7.   Principios Básicos do Sistema Respiratório:

        7.1  Mecânica respiratória

        7.2  Patologias de interesse no atendimento odontológico

8.  Principios Básicos do Sistema Renal:

      8.1 Patologias do Sistema Renal de interesse no atendimento odontológico

9.  Principios Básicos do Sistema Endócrino:

      9.1 Patologias  do Sistema Endócrino de Interesse no atendimento odontológico

10.  Principios Básicos do SNC:

     10.1 Patologias do SNC de Interesse no atendimento odontológico

11.  Princípios Básicos de Fisiologia do Envelhecimento

12.  O Manejo do Paciente Portador de Necessidades Especiais:

    12.1  O Paciente  Portador de  Doenças Crônicas não Transmissíveis  DCNT:

             12.1.1 Sistêmicas:

                     Endócrinas e metabólicas

                     Respiratórias

                     Cardio-circulatórias

                     Hematológicas

                     Renais

                     Músculo-esqueléticas

                     Neoplásicas,

                     Imunológicas

                      Reumatológicas

                      Gastro-intestinais

  12.2  O paciente portador de doenças  Infecto Contagiosas:

               12.2.1 O  Paciente imuno suprimido por HIV

               12.2.2 O paciente portador de Hepatite

   12.3  O paciente Oncológico :

             12.3.1  O  Paciente imuno suprimido por Radio/Quimioterapia

   12.4  Protocolo para atendimento a  pacientes imuno suprimidos:

   12.5  O paciente Geriátrico

   12.6  O paciente Portador de Desordens Neurológicas:

            12.6.1. Comportamentais: Distúrbios de conduta, Distúrbios psiquiátricos;

            12.6.2  Degenerativas : Demência, Alzheimer, Parkinson

  12.7  O paciente portador de Desordens Físicas:

             11.4.1 Deficientes sensoriais

             11.4.2 Causas Traumáticas

             11.4.3 Causas Congênitas

   12.8  O paciente portador de desordens  Sindrômicas ou Genéticas

13.   Espectro de Controle da Dor, Medo e Ansiedade:

   13.1 O Protocolo de Redução de Estresse PRE

14.   Avaliação do Paciente:

   14.1 Avaliação Clínica

   14.2 História Médica (Anamnese):

   14.2.1 Comorbidades

   14.3 Metas de avaliação do paciente

   14.4 Componentes da avaliação:                           

            14.4.1 Classificação  do estado físico “Physical Status”   ASA

            14.4.2  Exame físico

            14.4.3  Exames clínicos  laboratoriais e de imagem

    14.5 A importância do diálogo e a troca de informações  entre o Cirurgião-Dentista e as demais especialidades médicas

15.  Anestésicos Locais:

    15.1 Considerações sobre o Mecanismo de ação

    15.2  Injeção atraumática

    15.3  Alterações Sistêmicas

    15.4 Toxidade dos anestésicos locais

    15.5 Uso Racional dos  Anestésicos Locais

    15.5  Efeitos Colaterais

16.  Analgesia:

    15.1 Caminhos e Modulação da Dor no SNC

    15.2  Mecanismo da dor

    15.3  Mecanismo inflamatório

    15.4  Analgesia e Anestésicos Locais

    15.5  Analgesia e Opióides

    15.6  Analgesia e  anti inflamatórios não esteroidais   AINEs

    15.7  Analgesia e analgésicos opióides 

    15.8  Analgesia e  o  óxido nitroso

17.  A Sedação em Odontologia

     17.1  Histórico Legislação e Regulamentação Vigentes

     17.2   Conceitos

     17.3   Sua importância

     17.4   Sedação na Prática Odontológica

     17.5 Vias de Administração vantagens e desvantagens

      17.6 Técnicas de Sedação:

             17.6.1  A Sedação por via enteral (Oral)

                         a -    Benzodiazepínicos

                             a-1   Mecanismo de ação dos benzodiazepínicos

                             a-2   Metabolismo e excreção

                             a-3   Indicações

                              a-4   Eficácia e segurança

                               a-5  Critérios de escolha do Benzodiazepínico

                               a-6   Prontuário e ficha de autorização

                               a-7   Administração e dosagem do benzodiazepínico

                               a-8   Contra-indicações

                                a-9   Interações  medicamentosas

                                a-10  Efeitos colaterais indesejáveis

                                a-11  Cuidados e recomendações

  18.5.2  A sedação por via Inalatória:

            -  Indicações contra indicações

  18.5.3  A sedação por via Parenteral ( Intra-Venosa):

               - Indicações e contra indicações

19. A anestesia Geral em Odontologia:

      19.1 Indicações e Contra indicações


Módulo 2 

SEDAÇÃO POR VIA  INALATÓRIA   PARTE  TEÓRICA  ESPECÍFICA:   CARGA HORÁRIA TEÓRICA  42 HS

1. Aspectos Legais Histórico e Regulamentação da  Técnica no Brasil

2. Indicações da Sedação por Via Inalatória

3.  Farmacologia do  Óxido Nitroso e do Oxigênio:

    3.1 Propriedades físico-químicas

    3.2 Solubilidade e potência do óxido nitroso

    3.3 Farmacocinética e farmacodinâmica

    3.4 Gases anestésicos

    3.5 Potência dos gases anestésicos

    3.6 Gases  anestésicos orgânicos e inorgânico

4.  Monitoração:

    4.1 Oxímetros de Pulso

    4.2 Esfignomanômetros

   4.3 Frequêncimetros

  4.4 Analizadores Bispectrais

5. Equipamentos:

       5.1 Unidades de Sedação  Inalatória

              5.2 Componentes e dispositivos de segurança dos equipamentos de sedação

              5.3 Cilindros de armazenagem dos gases oxigênio e óxido nitroso

              5.4 Componentes do sistema de sedação por via inalatória  ( válvulas reguladoras,  manômetros, mangueiras, tubos, máscaras e conexões)

              5.5 Sistema de Exaustão -  Equipamentos para remoção ambiental do óxido nitroso.

               5.6   Controle do ar ambiente

               5.7   Fatores de Segurança no manuseio do equipamento e dos gases.

               5.8   Normas estabelecidas pela NIOSH

               5.9   Normas estabelecidas pela FDA

               5.10 Normas estabelecidas pela ADA (guidelines)

            5.11 Normas estabelecidas pela Anvisa

6.         Uso da mistura óxido nitroso / oxigênio nas diversas especialidades odontológicas

7.         Técnica de administração:

7.1  Introdução, descrição geral e Revisão de Literatura

 7.2    Visita prévia e instruções gerais

 7.3    Preparo do equipamento

 7.4    Preparo do paciente

 7.5    Monitoração pré, trans e pós-operatório

              7.6    Titulação dos gases; respostas clínicas, níveis de sedação

              7.7    O teste Psico Motor de Trieger

              7.8    Mapeamento e documentação necessária

              7.9    Normas legais, prontuário para Sedação por via Inalatória,  o pessoal auxiliar, biosseguranç

              7.10  A administração protocolar de oxigênio 

              7.11  A Liberação do paciente

       8    Potenciais complicações da sedação por via inalatória

       9    Uso indevido, uso recreacional e a  exposição crônica ao óxido Nitroso

      10   O paciente odontopediátrico

      11   Associação das vias  enteral e inalatória

C-  Módulo 3 Emergências Médicas no Consultório Odontológico  

 De acordo com a Portaria CFO 22/2001  Carga Horária:  16 Hs.

1. Aspectos legais das emergências médicas

2. Avaliação inicial do paciente

3. Principais alterações cárdio vasculares respiratórias nervosas e endócrinas

4. Farmacologia das principais drogas relacionadas as emergências médicas

5. Classificação das situações de emergência; Incidência das situações de emergência recomendações básicas das situações de emergência

6. Suporte básico de vida: Considerações gerais

7. O protocolo de suporte básico de vida

8. Ressuscitação em bebês e crianças até 8 anos de idade

9. Alteração ou perda da consciência: considerações gerais

10. Dificuldade respiratória: Considerações gerais

      10.1 Hiperventilação:

      10.2 Crise aguda de asma

      10.3 Edema pulmonar agudo

      10.4 Doenças crônicas do sistema respiratório 

      10.5 Obstrução das vias aéreas

 11. Dor no peito: Considerções Gerais

       11.1 Bradicardia sinusal

       11.2 Taquicardias ou palpitações

       11.3 Doenças crônicas do aparelho cárdio circulatório

       11.4 Crise hipertensiva arterial

12. Reações alérgicas:

      12.1  Aos Anestésicos locais

      12.2  Aos Antimicrobianos

       12.3  A outras substâncias e fármacos de uso odontológico

13.  Reações a superdosagem das soluções anestésicas locais: 26.1superdosagem do sal anestésico absoluta ou relativa

        13.1  Superdosagem do vasoconstrictor

14  Metemoglobinemia

15.  Administração de drogas injetáveis:

       15.1 Vias de administração ; a injeção sub cutânea, intramuscular e intravenosa

16.  Critérios e Protocolo de EM

17.  Os equipamentos de emergência

18   Os medicamentos os componentes para administração intra venosa uso dos equipamentos para ventilação: ambú

19   A maleta de emergência

20.  Condutas clinicas nas emergências médicas :

21   Desobstrução das vias aéreas

22   Respiração artificial

23   A  punção venosa

24   Massagem cardíaca

25   Cricotireoidomia

26   Terapêutica medicamentosa

27  Classificação de Quadros Emergenciais

28   Obstrução de vias aéreas

29   Maleta de Emergências

30   Emergências Específicas

31   Medicamentos e Métodos

32   Manuseio dos Paciente

33   Módulo Prático

34.  Dinâmica de Grupo: Simulações sobre os quadros de  emergências

  D-  Módulo  Prático:   Carga horária:  30 Hs

       - Treinamento supervisionado em sedação, nas especialidades odontológicas

Observação:
Este curso atende a resolução do CFO 51/2004, e a l e a lei Lei no 5.081, de 24 de agosto de 1966. Artigo 6 inciso II e IV.