Voltar

Maria Carmelita Padua Dias

Maria Carmelita Dias é Doutora em Linguística Aplicada em Língua Portuguesa,  PUC-Rio (1994). Fez Pós-Doutorado na Universidade de Marne-La-Vallée, França (2005).
Trabalha como tradutora autônoma desde 1975. Atuou como professora e pesquisadora do Departamento de Letras da PUC-Rio de 1981 a 2008. Lecionou Cursos de Português para Tradutores para o Sindicato dos Tradutores (SINTRA), em 1992, e para a Associação dos Especialistas em Tradução, em 1999.

Alguns livros traduzidos: Dicionário de Linguística e Fonética, de David Crystal (1987), Emergência. A Conexão entre Formigas, Cérebro, Cidades e Software, de Steven Johnson (2003), Cinquenta Tons de Liberdade, de E.L. James (2012), Bel Canto, de Ann Patchett (2013), Toda Luz Que Não Podemos Ver, de Anthony Doerr (2015), O Regresso, de Michael Punke (2015), A Casa das Marés, de Jojo Moyes (2017), Serafina e a Capa Preta, de Robert Beatty (2018); e cotraduzidos: Minha Breve História, de Stephen Hawking (2013), Como Steve Jobs virou Steve Jobs,  de Brent Schlender & Rick Tetzeli (2015), Grey, de E. L. James (2015),  A Química, de Stephenie Meyer (2016), Ainda Sou eu, de Jojo Moyes (2018), Um Caminho para a Liberdade, de Jojo Moyes (2019), Terra Americana, de Jeanine Cummins (2020), A Grande Gripe, de John M. Barry  (2020).